Direitos humanos

Advogada indígena de Roraima vence prêmio da ONU de Direitos Humanos

FONTE: G1 

A indígena roraimense Joenia Wapichana foi uma das vencedoras do Prêmio das Nações Unidas de Direitos Humanos de 2018. Eleita por Roraima no último dia 7 com 8.491 votos, ela é a primeira mulher indígena deputada federal.

O prêmio, anunciado nesta quinta-feira (25) é concedido a pessoas e organizações por suas conquistas em direitos humanos. Os outros quatro vencedores são da Tanzânia, Paquistão e Irlanda. A premiação será em 10 de dezembro na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

“Vai fazer com que o mundo preste atenção que os povos indígenas são detentores de direitos, que têm seus valores, não somente aquele olhar de cobiça para as terras indígenas”, declarou Joênia em entrevista à ONU em Boa Vista. Ela dedicou o prêmio às mulheres indígenas.

Nascida em comunidade indígena de Roraima, Joenia Batista de Carvalho, que se apresenta como Joenia Wapixana, nome de sua etnia, é defensora dos direitos humanos das comunidades indígenas.

Advogada e mestre Universidade do Arizona, nos EUA, ela também foi primeira mulher indígena a se formar em direito e exercer a profissão no Brasil.

Em 2008, fez um pronunciamento histórico no Supremo Tribunal Federal (STF) durante o processo de demarcação em área contínua da Reserva Raposa Serra do Sol.

Prêmio
Criado pela Assembleia Geral da ONU em 1966, o prêmio está em sua décima edição. Martin Luther King, Nelson Mandela, Malala Yousafzai, as organizações Anistia Internacional e Comitê Internacional da Cruz Vermelha estão entre os vencedores de edições passadas.

De acordo com a ONU, o prêmio é uma oportunidade de “enviar uma mensagem clara aos defensores dos direitos humanos em todo o mundo de que a comunidade internacional agradece e apoia seus esforços para promover todos os direitos humanos para todos”.