Mundo

Voluntários 'adotam' crianças refugiadas sem pais na Itália


FONTE: BBC Brasil - Por: Carolina Montenegro

É esta a solução que um grupo de italianos criou para responder a uma crise sem precedentes: o desembarque recorde de crianças desacompanhadas entre o vasto número de imigrantes que chegam aos portos da Sicília.

Segundo dados da organização Save the Children, só em 2015, cerca de 11.100 crianças sem pais ou familiares desembarcaram nas costas da Itália. Algumas iniciaram a travessia do mar Mediterrâneo sozinhas e outras perderam suas famílias no percurso.

Recentemente, a Acnur (agência da ONU para os refugiados) alertou que o número de crianças desacompanhadas entre os refugiados tentando alcançar a Europa não para de crescer e deve ser recorde em 2015.

Em setembro, a foto do menino sírio Aylam Kurdi afogado numa praia da Turquia ganhou as manchetes do mundo todo e virou símbolo da crise migratória na qual já morreram milhares de crianças.

"Em 2013, os refugiados começaram a chegar em Siracusa em grande número e, em especial, crianças. Antes disso, pouco se falava no assunto e as organizações do governo trabalhavam sem envolver a sociedade", afirma Carla Trommino, advogada fundadora da ONG AccoglieRete.

Com sede em Siracusa, a organização é composta por uma rede de voluntários que "doam" suas famílias às crianças refugiadas desacompanhadas. Na prática, isso significa que eles se oferecem para se tornarem guardiões legais desses menores. Antes, o tutor designado era sempre o prefeito ou uma assistente social da cidade em que as crianças desembarcavam na Itália.

"Na época, visitei um centro de acolhida em que 16 crianças egípcias e 17 somalis viviam e dormiam em meio aos outros refugiados adultos. Elas estavam descalças e cheias de sarna", contou Trommino.

Inconformada com a situação que testemunhou, ela e um grupo de amigos advogados criaram a AccoglieRete e conseguiram um acordo com o tribunal da cidade pela tutela das crianças refugiadas.

Desde 2013, a ONG AccoglieRete já assistiu cerca de 600 crianças, com idades entre 11 e 17 anos. A maioria originária da Síria, Gâmbia, Egito, Somália, Senegal, Eritrea e Mali –países afligidos por conflitos armados e extrema pobreza.

No momento, a AccoglieRete conta com 120 tutores e 18 "famílias adotivas" em ação. Qualquer pessoa sem ficha criminal, com moradia em Siracusa ou região e disposta a realizar os treinamentos exigidos pela ONG, pode se tornar um tutor.

A acolhida pode ser integral com a criança morando e vivendo 100% do tempo com a família italiana ou em tempo parcial. Neste segundo caso o apoio acontece por exemplo para a obtenção de documentos de identidade, aulas de italiano e a partilha de atividades sociais, como jogos de futebol ou almoços de família aos domingos.



 

Cadastre-se em nosso informativo
  1. Nome
    Please let us know your name.
  2. Email
    Please let us know your email address.
  3. Captcha(*)
    Captcha
    Invalid Input