Mundo

Mulher dá à luz em navio-hospital após terremoto na Indonésia

FONTE: G1

Grávida de 9 meses sobreviveu a terremoto, mas preocupou-se devido aos hospitais cheios de vítimas do tremor. Bebê nasceu em hospital flutuante e ganhou nome inspirado na embarcação.

Uma mulher grávida de 9 meses deu à luz em um navio-hospital em meio a uma zona de desastre após o forte terremoto que atingiu a Indonésia no final de setembro.

Dinar, de 38 anos, diz ter tido sorte com a chegada do navio KRI Dr Soeharso no porto de Palu, já que os hospitais estavam repletos de feridos e a cidade estava em caos após o desastre natural que deixou mais de 1500 mortos.

A criança, uma menina, ganhou o nome de Suharsi, adaptação feminina do nome do navio onde ela nasceu.

A cidade de Palu ficou em ruínas após ser atingida pelo terremoto seguido de tsunami com ondas de até 6 metros de altura. O desastre fez com que os hospitais locais ficassem lotados de pessoas feridas. Mesmo nas ruas, médicos atendiam vítimas do tremor devido à falta de espaço nos hospitais.

"Eu estava tão preocupada após o terremoto, eu tinha tanta coisa na cabeça", disse Dinar à agência AFP. A chegada do navio da Marinha indonésia KRI Dr Soeharso foi vista como um milagre pela grávida, pois contava com uma clínica de topo de linha.

Dinar foi levada a bordo e deu à luz seu quinto filho, uma menina, apenas uma semana após o terremoto na ilha de Sulawesi. "Estou tão feliz e me sinto tão sortuda com a chegada do navio", afirmou.

O navio de guerra estava ancorado em Bali, à espera de uma conferência do Fundo Monetário Internacional (FMI) programada para acontecer na capital na próxima semana.

Ele foi deslocado para Palu após o tremor duplo que atingiu 7,5 graus e deixou vilas inteiras destruídas no dia 28 de setembro, com severa necessidade de médicos e suprimentos médicos.

Cidades devastadas
O governo da Indonésia teme que o número de desaparecidos após o terremoto e tsunami na ilha Sulawesi supere 1.000 pessoas, o que aumentaria de forma drástica o balanço da tragédia, que supera 1.558 mortos.

Em 28 de setembro, a cidade de Palu, com 350 mil habitantes na costa oeste da ilha, foi a mais atingida por um terremoto de 7,5 graus, seguido por ondas gigantes que chegaram a até 6 metros. Donggala, com cerca de 300 mil habitantes, foi a segunda cidade mais devastada. Várias construções foram reduzidas a escombros.

As autoridades temem que centenas de pessoas tenham sido soterradas entre os escombros de uma zona residencial no bairro de Balaroa, em Palu.

Os sobreviventes saquearam mercados para obter mantimentos, mas a polícia - que em um primeiro momento ignorou os casos - começou a prender os envolvidos.

As estradas de acesso e o aeroporto foram muito danificadas, o que dificulta o abastecimento. Em Palu, o acesso segue danificado em 60%, segundo indicou a companhia estatal de eletricidade, que espera poder restabelecer totalmente o serviço até o próximo dia 14, segundo a Efe.

 

Cadastre-se em nosso informativo
  1. Nome
    Please let us know your name.
  2. Email
    Please let us know your email address.
  3. Captcha(*)
    Captcha
    Invalid Input