Fonte: Governo do Estado do Rio de Janeiro - Por: Julia Brito - Imagem: da matéria

Uma das mais importantes instituições de ensino e fomento à prática musical do Brasil, a Escola de Música Villa-Lobos (EMVL), vinculada à Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro (Funarj), substituiu suas aulas presenciais por videoconferências.

Atividades presenciais foram interrompidas por conta dos protocolos de saúde. A mudança foi inicialmente difícil, mas professores e alunos se adaptaram, e o modelo será utilizado em casos de necessidade de reforço, quando a pandemia de Covid-19 acabar.  

- Estávamos no início do ano letivo, finalizando a matrícula do curso técnico. Tivemos uma semana de aula, e veio o decreto do Governo do Estado (que impôs medidas restritivas). A partir daí, com o fechamento geral, tivemos que nos reorganizar para que as atividades não parassem. Não é a mesma coisa, mas é o possível. Aprendemos pouco a pouco a mexer nas ferramentas on-line e ter aula desta maneira. Foi um aprendizado coletivo e que permanecerá sendo usado como ferramenta de ensino – destacou o diretor da escola, José Maria Braga.

Fundada na década de 50, a Escola de Música Villa-Lobos conta atualmente com 1.138 alunos nos três cursos oferecidos pela instituição. Mesmo com um número reduzido de inscritos por conta do cenário atual, a EMVL prosseguiu com alunos de diversas regiões do estado do Rio, como a artesã Deuzina Coelho Neves (foto). A estudante de violino, de 66 anos, foi aos poucos se adaptando ao formato virtual das aulas. A disciplina para o estudo foi usada para superar as dificuldades tecnológicas, já que não tem computador em casa. 

- Estudo violino há dois anos. Fui aos poucos me acostumando com as aulas on-line. Os professores ajudam, outros alunos também. Eu só tenho celular, mas consegui, na medida do possível, me adequar. Temos realizado até a aula como prática de conjunto, além das aulas individuais – contou a moradora de Santíssimo, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. 

A EMVL oferece três cursos em sua grade de ensino. O Curso Básico, que é pago, e não exige conhecimentos prévios, voltado para pessoas com idade a partir dos 13 anos; o Curso de Formação Inicial, que é gratuito e voltado para o público infantil, com o objetivo de desenvolver habilidades e competências relacionadas as atividades de apreciação, execução e criação musical; e o Curso Profissional de Nível Técnico (gratuito), para jovens e adultos que pretendem ingressar no mercado de trabalho como músicos. Há ainda uma opção de curso para a terceira idade, neste caso, a proposta é inserir os idosos em atividades musicais. 

Além da sede da escola, que fica no Centro do Rio, a instituição criou polos no interior para levar o aprendizado da música a mais pessoas. São seis atualmente, nas cidades de Armação dos Búzios, Cachoeiras de Macacu, Conceição de Macabu, Miracema, Paracambi e Teresópolis. Além disso, promove festivais, palestras, workshops e concertos de diversos gêneros musicais. A escola conta ainda com um centro de pesquisa e documentação, o Espaço Maestro Alceo Bocchino, com acervo especializado em música popular e erudita, composto de livros, partituras, periódicos, CDs e DVDs.

Aluno de canto, Luís Eduardo Pereira entrou na EMVL aos 19 anos. Agora, com 23, o rapaz já dá aulas de música para crianças em uma escola de Niterói. 

- A Escola de Música Villa-Lobos representa muito para mim, foi um divisor de águas, a chave para eu mudar muita coisa na minha vida. Tenho professores maravilhosos, dedicados e apaixonados pelo que fazem. Sou grato a tudo o que a escola me proporcionou – ressaltou o morador de São Gonçalo. 

A Villa-Lobos fica localizada na rua Ramalho Ortigão, no Centro.