Saúde

Mas… não faz mal bebês tomarem tantas vacinas?

FONTE: DV 

Bebê sentado e mãos de mulher segurando seu braço antes de aplicar vacina. Bebês tomam grande quantidade de vacinas.

Quantidade de antígenos nas vacinas é segura e o organismo está apto a receber as doses desde os primeiros meses de vida. Entenda.

As vacinas são um dos maiores feitos da humanidade, mas fake news que se espalham pela internet têm deixado muitas pessoas com medo, especialmente quando se trata de vacinação infantil. Afinal, um bebê toma mais de dez vacinas apenas em seu primeiro ano de vida: será que essa quantidade não faz mal para a saúde da criança?

A resposta é não. O sistema imunológico do bebê está plenamente preparado para receber diversos antígenos, substâncias estranhas ao organismo que promovem o desenvolvimento de anticorpos. “A quantidade de antígenos presente nas vacinas é muita pequena diante da capacidade do sistema imune da criança. Tomar todas as vacinas indicadas para o primeiro ano de vida não oferece nenhum risco nem satura o sistema imunológico da criança. Muito pelo contrário. Diariamente, somos expostos a diversos antígenos, como poeira, por exemplo. As doses de vacina representam apenas uma pequena porcentagem dessa exposição”, explica a dra. Rosana Richtmann, infectologista do Instituto de Infectologia Emílio Ribas e do Comitê de Imunização da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

O ideal é que todas as crianças recebam as vacinas que são indicadas de acordo com sua idade, seguindo o Calendário Nacional de Vacinação. Segundo a médica, dar vacinas além das recomendadas no calendário é desnecessário, apesar de não colocar a saúde da criança em risco.

Outra demonstração de que a carga de antígenos não faz mal ocorre quando uma pessoa tem dúvida se tomou ou não determinada vacina, ou quando não tem mais sua carteira de vacinação. Primeiro ela deve buscar a unidade em que tomou as imunizações quando criança. Se o local não tiver o registro, a recomendação é que ela tome as vacinas indicadas, e isso não fará mal mesmo que ela já tenha tomado na infância, o que atesta a segurança das vacinas. As possíveis doses extras não representam perigo para a saúde de adultos nem de crianças.

A segurança das vacinas não significa que não é possível haver reações. É muito comum que bebês apresentem sintomas como irritabilidade, sonolência e febre após tomar uma vacina, mas é raro ocorrerem reações graves. “Quem merece cuidado especial nesse sentido são recém-nascidos com prematuridade extrema, ou seja, bebês que nasceram antes da gestação completar 28 semanas. Nesses casos, os efeitos adversos da vacina podem ser mais significativos; portanto, aí sim é preciso atenção”, afirma a dra. Rosana.