Terceiro setor

Cães com sinais de maus-tratos são resgatados por ONG no Salvador Lyra

FONTE: GAZETA WEB

Animais foram abandonados na residência pelos donos, desde o último sábado (31); OAB vai encaminhar o caso à polícia

Cães com sinais de maus-tratos são resgatados por ONG no Salvador Lyra

Dois cães com sinais severos de maus-tratos e abandono foram resgatados em uma residência no conjunto Salvador Lyra, em Maceió, nessa terça-feira (3). O caso chegou até a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas (OAB/AL), que acionou a ONG Pata Amada para fazer o resgate.

De acordo com relatos, os animais sofriam maus-tratos há, pelo menos, três meses, mas a situação piorou desde que os donos se mudaram e deixaram os animais abandonados na residência .

"O dono dos animais se mudou desde sábado, porém, de acordo com o relato, já havia um estado de negligência com esses cães há mais de três meses. E, para chegar ao estado em que eles se encontram, realmente é preciso muita desassistência e muita negligência", afirmou Rosana Jambo, presidente da comissão de Bem Estar Animal da OAB.

Os responsáveis pelos cachorros já foram notificados. O caso será encaminhado para à polícia.

"Eles foram notificados e, inclusive, vai ter uma audiência na OAB e também vou encaminhar o caso à polícia. Toda ação ou omissão, voluntária ou não, ou seja, culposa ou dolosa, e, no caso dele foi intencional, caracteriza maus-tratos. A pena é de três meses a um ano de detenção e multa", explica a presidente.

Segundo o veterinário que atendeu os animais, os cães devem ter 2 anos e vão ficar internados por alguns dias.

"Essa cadela chegou com o peso de 6,8 kg. Ela, no mínimo, deveria ter o dobro do peso. É uma cadela que não está magra, ela já está caquética, com perda de massa muscular acentuada. Os cães vão ficar sob os cuidados que a gente julga necessário para trazer esse animal a uma condição de vida adequada", disse o médico Bruno Eduardo Abreu;

Os cachorros devem seguir para a sede da ONG Pata Amada, depois que tiverem alta. "Após a alta médica, nós vamos levar para a sede da ONG para continuar o tratamento. A ideia é que, depois de saudáveis, castrados e vacinados, nós procuremos uma família, para que eles sejam felizes de verdade " afirmou Mylene Leite, presidente da ONG.