Fonte: CNNBrasil  - Imagem: Marta Branco no Pexels

Inclusão atrai “vitalidade” para a organização, além de conexão com o mundo atual, disse representante do Fórum da Empresas e Direitos LGBTI+.

A discussão sobre identidade de gênero – quando pessoas não se identificam com o sexo biológico ou com a visão binária – contribui com as empresas, e que o mercado já está percebendo isso.

É como avaliou o secretário-executivo da ONG Fórum da Empresas e Direitos LGBTI+, Reinaldo Bulgarelli, em entrevista à CNN Rádio, no quadro CNN No Plural, nesta quarta-feira (12).

O representante disse que a “diversidade adiciona valor”. “Tem a ver com a vitalidade da organização, conexão com o mundo onde ela opera, além de criatividade, inovação, humanização”, disse.

“Empresas que passam a ir atrás dessa diversidade acrescentam no seu modo de identificar talentos. Hoje, a gente tem a questão da agenda ESG, que trata de questões sociais, ambientais e governança, elas (empresas) são instigadas a fazer parte da solução e não mais do problema”, opinou.

Não é um assunto novo, destaca Bulgarelli mas, nos últimos anos, há um crescimento do tema dentro das empresas.

“As empresas estão aprendendo, as pessoas passaram a ter nos quadros profissionais pessoas trans e não-binárias, tiraram essa barreira da frente”, completou.

O básico, segundo o especialista, é reconhecer a informação da pessoa e passar a tratá-la, por exemplo, como ela quer ser chamada, colocar o nome escolhido em crachás, documentos.