Fonte: Agência de Notícias de Salvador -  Imagem: Pixabay

Com ação permanente durante a pandemia de Covid-19, a Unidade de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência (UPCD), vinculada à Secretaria de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre), já distribuiu 11.482 cestas básicas, 15.904 itens de higiene e 7.939 materiais de limpeza para um total de 53 instituições parceiras.

Uma das entidades apoiadas é a Associação Bahiana de Equoterapia (Abae) que, dentre dezenas de famílias, atende às de Marcele Céo Bastos, de 18 anos, e de Isabelle da Silva Santos, 4 anos.

"As cestas básicas e os kits estão sendo muito importantes para minha família desde o começo, quando o álcool em gel estava caro, máscara difícil de achar. Então, eu só tenho a agradecer, porque Isabelle nem recebia o benefício. Então, vocês podem perceber o tamanho da ajuda que essa cesta e o kits da UPCD tem nos prestado. Realmente, é uma alegria imensa o dia de buscar os benefícios”, afirma Ivanise Souza da Silva, 41 anos, dona de casa e mãe de Isabelle.

Ela conta ainda que, nesses três anos em que a filha é atendida pela Abae, o desenvolvimento é perceptível. “Quando ela chegou lá nem andava ainda e, com as orientações que me foram passadas, ela andou bem rápido. Portanto, foi um avanço muito importante, e agora temos também esse suporte para alimentação”, completa.

Com história de vida parecida, a professora Taís Rolim Céo Bastos costuma dizer que a equoterapia mudou sua vida e a da filha, Marcele. “Foi um marco, e agora, quando muitos de nós perdemos os nossos empregos ou tivemos os salários reduzidos pela metade, com a chegada da pandemia, as cestas chegaram na hora certa, aliviando muito as nossas famílias”, destaca.

Marcele é praticante de equoterapia há três anos e tem recebido as orientações de forma remota, pela equipe da Abae. “Eles têm ajudado muito minha família, com os atendimentos regulares. Além disso, a equipe orienta, tira dúvidas e tem ajudado muito na continuidade dos estímulos de forma lúdica, trazendo alegria à minha filha. Sou muito grata a Deus por fazer parte da família Abae”, completa a mãe.

As cestas básicas são compostas por três quilos de feijão, três quilos de arroz, um quilo de macarrão, três quilos de farinha de mandioca, três quilos de açúcar, 600 gramas de leite em pó, um quilo de flocão de milho, 800 gramas de soja texturizada, 900 ml de óleo de soja, 800 gramas de biscoito cream cracker, um quilo de café e um quilo de sal.

Impacto – Para o diretor de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência da Sempre, Wagner Andrade, os donativos são fundamentais para as famílias de pessoas com deficiência. Isso porque muitas vivem exclusivamente do BPC (Benefício de Prestação Continuada) e/ou outros benefícios sociais que não são suficientes para garantir todas as demandas específicas que a própria condição do beneficiado ocasiona, a exemplo de remédios e cuidadores e do sustento integral da família.

“Além disso, muitas pessoas com deficiência e familiares complementam a renda com atividades de comércio informal e, após a necessária deflagração de medidas restritivas e de isolamento social, ficaram impossibilitadas de obter esta renda”, declara.

O diretor ressalta ainda que muitas pessoas com deficiência são consideradas grupo de risco para a Covid-19. “Por isso, a importância desta ação para apoiar este segmento da sociedade que, em alguns casos, enfrenta uma situação de dupla vulnerabilidade: primeiro a ocasionada pelos impedimentos da sua condição de pessoa com deficiência e, segundo, pela situação de vulnerabilidade social e econômica”, finaliza Andrade.